A poesia mapuche contemporânea como instrumento da reescrita de histórias
PDF

Palavras-chave

Poesia contemporânea
identidade mapuche
reescrita
decolonialidade
colonialismo

Como Citar

DOS SANTOS BENTO, C. C.; BARBOSA DE OLIVEIRA , I. C. A poesia mapuche contemporânea como instrumento da reescrita de histórias . SEDA - Revista de Letras da Rural-RJ, v. 6, n. 13, p. 47-63, 30 maio 2022.

Resumo

Dentre os grupos originários colonizados, estão os mapuche, oriundos do Chile, que sofreram violentas perseguições em seu território. Na atualidade, esses grupos e muitos outros são oprimidos pela ótica colonialista que perdura. Os mapuche têm utilizado inúmeras ferramentas como contradiscursos à mentalidade dominante. Neste trabalho analisamos a poesia contemporânea mapuche como instrumento de reescrita de uma história que foi contada há séculos pela visão do colonizador. A partir dos escritos das poetas mapuche Graciela Huinao e Rayen Kvyeh, vislumbramos as vozes dos nativos, que por muito tempo foram rasuradas e silenciadas, contando suas vivências e valorizando a identidade originária de forma a reivindicar o papel de sujeito de suas histórias. Levando em consideração conceitos como colonialismo de Ferro (2017), as pretensões colonizadoras apresentadas por Todorov (1982), e a noção de articulação do passado e história do vencedor em Benjamin (1985).

PDF

Referências

AGAMBEN, Giorgio. O que é o contemporâneo? e outros ensaios. Editora Argos, 2009.
BENJAMIN, Walter. Sobre o conceito de história. In Magia e técnica, arte e política. v. 7, p. 222-232, 1994.

BONNICI, Thomas. Teoria e crítica pós-colonialistas. In: BONNICI, Thomas e ZOLÍN, Lúcia Ozana. Teoria literária: abordagens históricas e tendências contemporâneas, 2009.
DÍAZ MERINO, Ximena Antonia. Poesia Mapuche como Resistência Cultural Con-temporânea. Revista Guará-Revista de Linguagem e Literatura.Goiânia. v. 2, n. 1, p. 11-23, jan./jun. 2012. Disponível em: Acesso em: 28 de abr. de 2021.
GRACIELA HUINAO. Festival Internacional de Poesia de Medellin, Medellín, 28 de jun. de 2018. Prometeo. Disponível em: . Acesso em: 20 de maio de 2021.
GUZMAN, Socrátes Moquete; VERGARA, Miguel. As políticas públicas e a questão territorial do povo mapuche: uma análise comparativa das ações dos governos Allen-de, Pinochet e a nova democracia. O Pública e o Privado. v.8, 16 de jun-dez, p.13-29, 2010. Disponível em < https://revistas.uece.br/index.php/opublicoeoprivado/article/view/2441 > Acesso em: 24 de jun. de 2021.
FERRO, Marc. A colonização explicada a todos. Trad. Fernando Santos. São Paulo: Editora Unesp, 2017
MOLINA, Valentina Paz Bascur A. Kümedungun: Trajetórias de vida e a escrita de si de mulheres poetas Mapuche. Dissertação (Mestrado em Estudos Interdisciplinares) – Faculdade de Filosofia Ciências Humanas, Universidade de Federal da Bahia. São Sal-vador, p. 38-50. 2019 Disponível em: Acesso em: 28 de abr. de 2021.
TODOROV, Tzvetan; PERRONE- MOISÉS, Beatriz. A conquista da América: a questão do outro. 2 ed. São Paulo: Martins Fontes, 1999. Cap. III. p. 151-223.
RAYEN KVYEH. Luna de las cenizas. Luna de cenizas. Temuko: Mapu Ñuke. 2011.
SEIXLACK, Alessandra González de Carvalho. A Pacificação da Araucania e a Conquista do Deserto: Fronteira, Território e Nação em perspectiva. In: 16º SEMI-NÁRIO NACIONAL DE HISTÓRIA DA CIÊNCIA E DA TECNOLOGIA, 2018, Campina Grande. 2018. Disponível em: Acesso em: 24 de jun. de 2021.
Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Copyright (c) 2022 SEDA - Revista de Letras da Rural-RJ