SEDA - Revista de Letras da Rural-RJ https://revistaseda.org/index.php/seda <p><img src="/public/site/images/revistaseda10/homepageImage_pt_BR.jpg" align="right">SEDA é a Revista dos cursos da área de Letras da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, vinculados ao Instituto de Ciências Humanas e Sociais (campus de Seropédica), com publicação quadrimestral, nascida no segundo semestre de 2014, fruto dos anseios pela pesquisa acadêmica e divulgação na área dos Estudos Linguísticos e Literários, assim como no Ensino de Línguas e Literaturas. Intenciona-se colocar ao alcance do leitor algumas das variadas reflexões que na atualidade se fazem a respeito das questões associadas à área de Letras, revalorizar os trabalhos acadêmicos e, assim, revisitar teorias e apresentar novas perspectivas de análise sobre a Língua e as Literaturas em questão. A seda, fibra proteica utilizada para produzir tecidos leves, brilhantes e macios, obtida a partir dos casulos do bicho-da-seda, está na origem do nome do atual município Seropédica, onde está localizada a UFRuralRJ. Nessa região havia, desde meados do século XIX, uma companhia seropédica, palavra que significa "local de produção de seda". Tomamos, portanto, emprestado o nome desse fio que está ligado ao topônimo de nosso campus para título do periódico que pretende discutir e divulgar muitos outros tecidos textuais.</p> Curso de Letras da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro pt-BR SEDA - Revista de Letras da Rural-RJ 2525-5940 <p>Autorizo a Seda - Revista de Letras da Rural/RJ a publicar o artigo que ora submeto, de minha autoria/responsabilidade, caso seja aceito para publicação online. Declaro, ainda, que esta contribuição é original, que não está sendo submetida a outro editor para publicação, e assino a presente declaração como expressão da verdade.</p> <p>Os trabalhos publicados no espaço virtual da Seda - Revista de Letras da Rural/RJ serão automaticamente cedidos, ficando os seus direitos autorais reservados à Seda - Revista de Letras da Rural/RJ. Sua reprodução, total ou parcial, é condicionada à citação dos autores e dos dados da publicação.</p> O romance brasileiro contemporâneo: escrita e multiplicidade https://revistaseda.org/index.php/seda/article/view/206 <p>A literatura brasileira contemporânea tem se mostrado um espaço múltiplo, diversificado, seja no que diz respeito aos conteúdos, ou às formas sob as quais se apresenta. Nesse sentido, este texto discorre sobre o romance, forma literária narrativa que tem ganhado cada vez mais espaço entre os leitores. O artigo tem como objetivo, discutir sobre o romance brasileiro contemporâneo, explorando aspectos que evidenciam a diversidade encontrada nessas produções, tais como a ruptura com modelos padrões, a quebra de expectativas nos leitores, a não linearidade da narrativa, o caos, a desordem, personagens fragmentadas, a presença cada vez mais frequente do real na literatura, a pluralidade de falas, entre outros.</p> Marcos Antônio Fernandes dos Santos Copyright (c) 2022 SEDA - Revista de Letras da Rural-RJ https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-09-28 2022-09-28 6 14 116 133 A crítica interdisciplinar e sua aplicação pelos críticos machadianos https://revistaseda.org/index.php/seda/article/view/219 <p>A crítica literária, altamente regulamentada no mundo Antigo, sofreu uma grande reviravolta quando Kant tirou o fundamento que a regia, ao publicar seu livro, Crítica da Faculdade do Juízo (1790). Dando início à Modernidade Crítica, a lacuna deixada pelo filósofo de um fundamento para o juízo estético resultou em diferentes respostas na busca de uma nova regulamentação da crítica. Muitas dessas novas perspectivas foram praticadas no Brasil, portanto, o presente artigo pretende ver algumas delas e observar suas aplicações por críticos literários de Machado de Assis, a fim de notar a proficuidade de cada uma.</p> Gabriela Ribeiro Nunes Copyright (c) 2022 SEDA - Revista de Letras da Rural-RJ https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-09-28 2022-09-28 6 14 98 115 A Ascensão e a queda de um ídolo https://revistaseda.org/index.php/seda/article/view/232 <p>O presente trabalho tem como objetivo estabelecer uma análise do conto “Vadico”, de Edilberto Coutinho, a partir do conceito de narrador pós-moderno proposto por Walter Benjamin (2020) e posteriormente revisitado por Silviano Santiago (2002). Para isso, faremos inicialmente uma contextualização histórica do autor seguida da abordagem teórica proposta. Posteriormente, realizaremos a análise do conto de modo a ressaltar os graus de encaixamento sofridos pela narrativa. Nossa análise levará em conta elementos como os “atos de fingir”, propostos por Wolfgang Iser (1975), e os graus de encaixamento do foco narrativo. Nosso objetivo baliza o realce dos múltiplos personagens-narradores que se manifestam ao longo da narrativa, narradores estes que deambulam entre os meandros polifônicos do existir e do narrar.&nbsp; &nbsp;</p> Tiago Santos Copyright (c) 2022 SEDA - Revista de Letras da Rural-RJ https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-09-28 2022-09-28 6 14 77 97 O medievo e a psicanálise em “Doze reis e a moça no labirinto do vento”, de Marina Colasanti https://revistaseda.org/index.php/seda/article/view/210 <p>Publicado em 1982, “Doze reis e a moça no labirinto do vento” é um conto de fadas contemporâneo de Maria Colasanti. É uma narrativa curta, que narra a história de uma princesa que deseja se casar, e o pretendente escolhido será o que atravessar o labirinto do vento, localizado na propriedade do rei. Neste artigo, objetiva-se analisar o elemento maravilhoso do conto a partir do ponto de vista medieval, a partir dos textos de Le Goff sobre a Idade Medieval, e do ponto de vista psicanalítico, a partir da leitura de <em>Psicanálise dos contos de fadas</em>, de Bruno Bettelheim. Ao longo do texto, será discutido como a interação entre os elementos do passado e do presente falam às crianças e como as narrativas são essenciais para o desenvolvimento saudável da psiquê.</p> Camila Franquini Pereira Copyright (c) 2022 SEDA - Revista de Letras da Rural-RJ https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-09-28 2022-09-28 6 14 65 76 As aventuras de um literato na sétima arte: as crônicas de José Lins do Rego em “O Globo nos Cinemas” https://revistaseda.org/index.php/seda/article/view/231 <p>Este artigo visa apresentar e discutir o conteúdo de crônicas escritas pelo literato José Lins do Rego para a sua participação, ao longo de 1944, na coluna “O Globo nos Cinemas”. Fruto de uma pesquisa em arquivos de imprensa que identificou e catalogou quase duas mil crônicas produzidas por Rego para <em>O Globo</em>, o trabalho provém da análise de vinte e oito dos cento e três textos ligados à série sobre cinema que marcou a estreia do escritor como colunista do jornal carioca, para o qual escreveria até o fim de 1956. Pelas mãos de Rego, a partir do mote cinematográfico, a coluna abordava temas que iam da política internacional - como comentários sobre a Segunda Guerra Mundial e a queda do nazifascismo na Europa - até considerações sobre sociedade, economia e aspectos culturais do Brasil e de outros países. Com a disponibilização desse ainda inédito recorte da produção de crônicas do romancista paraibano, busca-se abrir caminhos para estudos sobre a reverberação e a influência desses escritos junto à sociedade brasileira da década de 1940, tendo em vista o prestígio do autor e o enorme alcance obtido por <em>O Globo</em>, um dos principais jornais da então capital do país.</p> Leandro Martan Copyright (c) 2022 SEDA - Revista de Letras da Rural-RJ https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-09-28 2022-09-28 6 14 47 64